Segundo nova pesquisa realizada pelo Datafolha, Lula volta a ter aprovação recorde


Presidente é avaliado como ótimo/bom por 76% dos entrevistados, mas o candidato da oposição cresce no Datafolha

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem a melhor avaliação desde que assumiu a Presidência da República, em janeiro de 2003, e o melhor desempenho de um presidente brasileiro desde 1990, conforme levantamento realizado pelo Datafolha. Em pesquisa feita entre 25 e 26 de março, 76% dos entrevistados avaliaram o governo de Lula como bom ou ótimo, 20% consideraram regular e somente 4% indicaram sua gestão como ruim ou péssima. Foi a terceira vez consecutiva em que o instituto registrou elevação nos índices de ótimo e bom concedidos a Lula. De agosto de 2009 até agora, a avaliação positiva do presidente saltou nove pontos, de 67% para os 76% atuais. Nos últimos três anos, Lula aumentou em 26 pontos a sua popularidade. Nas regiões Sul e Sudeste, Lula atinge sua menor aprovação (69%), enquanto o Nordeste (87%) concentra a maior popularidade. A aceitação de Lula também cresceu entre os mais escolarizados e ricos. Entre as famílias com renda acima de 10 salários mínimos, Lula atinge 68% de aprovação, ante 36% no começo do governo. Mas o maior salto foi entre os consultados com até cinco salários mínimos: 77% de aprovação, ante 43% no começo de 2003. Influenciado principalmente em decorrência da melhora nos indicadores econômicos e sociais do país, esse desempenho positivo, entretanto, não se transfere para a pesquisa sobre as eleições presidenciais. José Serra, do PSDB, ampliou a vantagem de quatro para nove pontos sobre a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, candidata do PT à sucessão de Lula. As intenções de voto em Dilma, porém, recuaram apenas um ponto percentual, de 28% para 27% dos entrevistados. É que Serra aumentou sua preferência no eleitorado, passando de 32% para 36% dos entrevistados. Também segundo o Datafolha, a preferência por Ciro Gomes (PSB) recuou de 12% para 11%, enquanto Marina Silva (PV) permaneceu com 8% das intenções de voto. Foram ouvidos 4.158 eleitores, e a margem de erro é de 2 pontos percentuais. Tucanos satisfeitos e governistas otimistas Os tucanos ficaram satisfeitos com o resultado da pesquisa. Para o PSDB, a diferença seria ainda maior se a pesquisa fosse feita depois do lançamento da candidatura de Serra, previsto para o dia 10 de abril. – Essa será uma disputa muito dura, mas nós estamos crescendo. É uma fantasia do PT achar que as coisas estavam todas resolvidas para o lado da Dilma – comemorou o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE). Para os governistas, o crescimento de Serra é “um mero ajuste”. – Ter 27% é um excelente começo. Lula e as nossas alianças vão transferir ainda mais votos (para Dilma) – disse o deputado José Genoino (PT-SP).

Pesquisa diz que CAFÉ é uma das bebidas preferidas do País

O café é uma das bebidas preferidas da população brasileira e os índices de consumo estão se consolidando, confirmou pesquisa encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). Segundo o estudo, divulgado hoje, no ano passado 97% dos entrevistados - homens e mulheres com mais de 15 anos de idade - declararam que haviam consumido café no dia da pesquisa e também no anterior, mesmo porcentual registrado em 2008. Há sete anos, esse índice era de 91%.

O diretor executivo da Abic, Nathan Herszkowicz, avaliou o crescimento como consistente. "Estamos perto de 100% e a questão é como continuar a crescer", informou. A solução adotada pelo setor tem sido estimular a frequência de consumo, com resultados positivos. Entre 2008 e 2009, o porcentual de entrevistados que bebia uma xícara todos os dias passou de 77% para 85%.

Nathan comentou que o consumo de café cresce em todas as classes sociais, sobretudo na classe C, que recebe de 4 a 10 salários mínimos. No período de 2003 a 2009, a participação da classe C no consumo total saltou 14%, de 37% para 42%. Essa parcela da população também está tomando mais café fora de casa, avançando de 14% para 48%, com elevação de 242%, como influência da maior oferta do produto em cafeterias, restaurantes e hotéis.

Preferência

No que se refere ao tipo de café consumido, a pesquisa mostra que o brasileiro continua fortemente adepto da bebida coada/filtrada (93% em casa e 96% fora do lar). No entanto, Nathan observou que tem aumentado o consumo de grãos especiais, de melhor qualidade, embora a participação desse tipo de grão no total ainda seja pequena. Em 2008, o consumo de variedades gourmet em casa era de 1,2% do total; em 2009 passou para 2,7%.

Conforme a pesquisa, o interesse pelos grãos especiais está difundido em todas as classes sociais, "sinalizando que o consumidor está em busca de qualidade, independentemente da renda". Em contrapartida, o café instantâneo (solúvel) tem perdido espaço, principalmente nas classes A e B. Isso torna questionável o argumento da praticidade do solúvel. "Com as máquinas automáticas, é só apertar um botão que você tem um expresso", disse Nathan.

Outro ponto destacado no estudo é que as mulheres (54%) estão consumindo mais café do que os homens (46%). Entre outras justificativas, está o fato de a população feminina ser maior no Brasil. Mas também deve-se considerar que parte das consumidoras está no lar, ou participa do mercado de trabalho, onde passa a consumir a bebida. Segundo Nathan, essa é uma característica do mercado brasileiro e cabe "à indústria direcionar produtos e estratégias para o segmento".

A pesquisa "Tendência do Consumo de Café - 2009" é realizada anualmente pela Abic desde 2003. O trabalho é coordenado pela Consultoria Ivani Rossi e foi realizado de 10 a 20 de janeiro com 1.703 pessoas. O consumo de café no Brasil alcançou 18,4 milhões de sacas de 60 quilos em 2009. A Abic projeta crescimento de 5% este ano, ou cerca de 1 milhão de sacas.

Fonte: Estadão

Segundo pesquisa, bafômetro ainda é pouco usado no país



Mesmo com a implementação da lei seca, o bafômetro ainda é pouco utilizado no Brasil. De acordo com uma pesquisa do governo federal em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), apenas 9,2% dos motoristas do país já passaram pelo teste do bafômetro.

O percentual é ainda menor entre os motoqueiros. Só 8,3% dos proprietários de motos foram abordados por policiais para a realização do teste.

"Quanto mais bafômetro é feito, menor será o impacto do álcool no trânsito. Em alguns países, o motorista passa pelo teste até 14 vezes por ano, enquanto no Brasil ainda é muito pequena a frequência", disse Flávio Pechansky, um dos coordenadores da pesquisa.

DIA INTERNACIONAL DA MULHER


Mulher! Mulher! Mulher!Pobre é o homem que uma mulher não tem ao seu lado! É, com certeza, um infeliz, um solitário, um coitado, ou verdadeiramente homem não é! Mulher! Orgulha-te, sendo feia ou bela,do sexo que Deus te deu,que ao homem atrai e atrela, ao qual o homem sempre se rendeu! E não há homem forte tanto que não se deixe seduzir de ti diante, que por ti não derrame pranto, mesmo que seja duro como um diamante! Mulher! És do criador a mais inteligente invenção! És a flor que perfuma do homem o coração! E admirar-te e amar-te é do homem vocação, para não dizer necessidade, obrigação. Pois sem ti, o homem é um imbecil, um bobalhão, um contaminado pelo vírus da solidão! Duvido que alguém diga que não! Mulher! Ah, mulher! Rainha das fêmeas do universo, a ti gero esses versos, com o carinho e o respeito que o tema requer, com a admiração que por ti nutro, pois desde que nasci, em mim estiveste presente, sempre foste minha confidente, mesmo porque de ti também sou fruto!

EQUIPE DE PESQUISAS ATUAIS DA OLIRUAM'S CORPORATION

Cai a participação da mulher no mercado de trabalho, diz pesquisa

A taxa de participação das mulheres no mercado de trabalho caiu para 55,9% na Região Metropolitana de São Paulo em 2009, revelou uma pesquisa inédita divulgada nesta quinta-feira pela Fundação Seade e Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Em 2008, a proporção era de 56,4%.
Já a taxa de desemprego total das mulheres diminuiu pelo sexto ano consecutivo, embora com menor intensidade do que nos anos anteriores, passando de 16,5%, em 2008, para 16,2%, em 2009.
O rendimento médio real por hora das mulheres ocupadas aumentou 3% e passou a corresponder a R$ 6,17, valor que equivale a 79,8% do atribuído aos homens (R$ 7,73). Já a remuneração média masculina reduziu-se em 1,4%, o que diminuiu a diferença entre os dois rendimentos.
Ocupações - Ainda que o setor de serviços seja o principal gerador de empregos femininos, os serviços domésticos são o segundo em importância, de acordo com a pesquisa.
Em termos de perfil etário das domésticas, predominam as mulheres adultas, com idade entre 25 e 49 anos, nos dois períodos analisados. Houve, também, o envelhecimento dessa mão de obra, principalmente pela diminuição da parcela de jovens de 18 a 24 anos e pelo crescimento daquela de 50 a 59 anos.
Os serviços domésticos apareceram como segundo setor que mais ocupou mulheres nas regiões de São Paulo (17,1%), Belo Horizonte (15,2%) e no Distrito Federal (17,0%). As maiores proporções de mulheres que trabalhavam nos serviços domésticos foram observadas em Fortaleza e Recife (18,3%, em cada uma das regiões), enquanto a menor foi verificada em Porto Alegre (13,0%).


fonte: Diário Online

TURISMO espera faturamento de quase 15% maior em relação ao ano passado, revela pesquisa

SÃO PAULO - Os empresários ligados ao setor de turismo esperam um crescimento de 14,6% no faturamento este ano, de acordo com dados da 6ª Pesquisa Anual de Conjuntura Econômica do Turismo (Pacet), divulgada hoje pela Fundação Getulio Vargas (FGV) em conjunto com o Ministério do Turismo.
" A pesquisa mostra o bom momento da imagem do Brasil, que é assentada no enfrentamento da crise econômica, nos fundamentos da economia e no crédito. Isso é que faz com que o turismo pegue uma carona neste otimismo da economia " , frisou o ministro do Turismo, Luiz Barreto. " Junta-se a isso a perspectiva com a Copa do Mundo e a Olimpíada " , acrescentou.
Em relação aos postos de trabalho, a expectativa é de uma expansão de 4,9%, com destaque para as perspectivas para o turismo receptivo e os meios de hospedagem, com previsão de crescimento de 11% e 7,8%, respectivamente, no volume de trabalhadores.
Barreto ressaltou que os dados colhidos em janeiro justificam o otimismo do setor. Os desembarques de voos domésticos cresceram 22%, na comparação com janeiro de 2009, para 5,6 milhões, novo recorde, enquanto os desembarques de voos internacionais também bateram recorde, com 735 mil passageiros, 12% acima de janeiro do ano passado.
" As passagens mais baratas, devido à maior concorrência entre as empresas, contribui para o crescimento. Mas essa concorrência deve levar a uma rentabilidade menor. No ano passado, por exemplo, as passagens ficaram 27% abaixo de 2008 " , ponderou Barreto.
Em relação aos dados de 2009, o faturamento cresceu para 26% das empresas consultadas, para 49%, houve estabilidade, e para 25% aconteceu redução do faturamento. O ministério considerou o resultado satisfatório, uma vez que o ano passado sofreu a influência negativa da crise econômica global.
A pesquisa foi realizada pela FGV com as 80 principais empresas de turismo do país, de nove segmentos diferentes, que faturam conjuntamente R$ 35 bilhões por ano e empregam cerca de 85 mil pessoas.


fonte: O Globo

Pesquisa mostra que 47% das viagens urbanas são realizadas com cartões


A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) acaba de lançar a Pesquisa Anual do Vale-Transporte de 2009. O levantamento, que levou em consideração dados sobre as principais cidades e suas regiões metropolitanas, aponta que, em média, 47% das viagens urbanas são feitas usando o vale-transporte como forma de pagamento. Veja no gráfico no final do texto a porcentagem do vale-transporte por cidades.
- O vale-transporte é um grande benefício ao trabalhador brasileiro, pois garante o seu deslocamento casa - trabalho - casa sem comprometer o seu orçamento - diz Marcos Bicalho dos Santos, diretor superintendente da NTU.
O crescimento das cidades e a intensificação das atividades econômicas nas metrópoles brasileiras estimulam de forma ostensiva o deslocamento da população no trajeto casa - trabalho - casa. Por isso, a necessidade das empresas em oferecer o vale-transporte com forma de garantir a locomoção dos trabalhadores, movimentando a própria demanda por serviços de transporte coletivo urbano.
Inovações tecnológicas
A bilhetagem eletrônica é um dos principais fatores para a evolução do vale-transporte brasileiro.
Esse tipo de cobrança automatizada viabiliza um melhor gerenciamento e simplifica os processos para os empregadores que distribuem o vale-transporte aos funcionários, além de melhorar a operação com os tempos de embarque.
- Em 90% dos municípios brasileiros acima de 100 mil habitantes existe algum tipo de sistema de cobrança eletrônica ou algum projeto em implementação - diz Bicalho.
A NTU representa as empresas de transporte coletivo urbano e metropolitano perante os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário federais e as entidades nacionais do setor.