TURISMO espera faturamento de quase 15% maior em relação ao ano passado, revela pesquisa

SÃO PAULO - Os empresários ligados ao setor de turismo esperam um crescimento de 14,6% no faturamento este ano, de acordo com dados da 6ª Pesquisa Anual de Conjuntura Econômica do Turismo (Pacet), divulgada hoje pela Fundação Getulio Vargas (FGV) em conjunto com o Ministério do Turismo.
" A pesquisa mostra o bom momento da imagem do Brasil, que é assentada no enfrentamento da crise econômica, nos fundamentos da economia e no crédito. Isso é que faz com que o turismo pegue uma carona neste otimismo da economia " , frisou o ministro do Turismo, Luiz Barreto. " Junta-se a isso a perspectiva com a Copa do Mundo e a Olimpíada " , acrescentou.
Em relação aos postos de trabalho, a expectativa é de uma expansão de 4,9%, com destaque para as perspectivas para o turismo receptivo e os meios de hospedagem, com previsão de crescimento de 11% e 7,8%, respectivamente, no volume de trabalhadores.
Barreto ressaltou que os dados colhidos em janeiro justificam o otimismo do setor. Os desembarques de voos domésticos cresceram 22%, na comparação com janeiro de 2009, para 5,6 milhões, novo recorde, enquanto os desembarques de voos internacionais também bateram recorde, com 735 mil passageiros, 12% acima de janeiro do ano passado.
" As passagens mais baratas, devido à maior concorrência entre as empresas, contribui para o crescimento. Mas essa concorrência deve levar a uma rentabilidade menor. No ano passado, por exemplo, as passagens ficaram 27% abaixo de 2008 " , ponderou Barreto.
Em relação aos dados de 2009, o faturamento cresceu para 26% das empresas consultadas, para 49%, houve estabilidade, e para 25% aconteceu redução do faturamento. O ministério considerou o resultado satisfatório, uma vez que o ano passado sofreu a influência negativa da crise econômica global.
A pesquisa foi realizada pela FGV com as 80 principais empresas de turismo do país, de nove segmentos diferentes, que faturam conjuntamente R$ 35 bilhões por ano e empregam cerca de 85 mil pessoas.


fonte: O Globo

0 comentários:

Postar um comentário